Conto | Noiva Insana

Por: Camila Servello Aguirre

As pálpebras foram as primeiras partes que ela arrancou. Não houve dor, eu estava sedado. Tudo voltou num borrão e as engrenagens dentro da minha cabeça ora rodavam demais, ora de menos. Eu me esforçava para piscar e poder limpar a visão, mas não havia membrana alguma que cobrisse meus olhos.Uma gota gelada em cada olho e tudo pareceu melhorar. Pude me ver enfim, estirado na cama, como da última vez, nu, refletido no imenso espelho instalado no teto, com uma estrutura presa à cabeceira da mesa. Não sabia o que era, mas não estava ali quando apaguei.

Continuar lendo “Conto | Noiva Insana”

Conto | Maldita Noite de Oktoberfest

Por: Dyego Alekssander Maas

DESABAFO – 10 de Julho de 2015

Recusaram outro conto meu. Já faz dois anos que escrevo e ainda não tenho um conto sequer selecionado para uma antologia. Talvez seja a minha insistência em escrever contos de terror. Já me disseram que tenho uma mania de inventar moda e tentar inovar demais. Quer saber? Que se fodam as antologias, e que se foda o que os outros pensam.

FIM – 11 de Julho de 2015

Este é provavelmente meu último post. Escrever talvez não seja para mim, e o meu ego já não suporta mais os golpes cruéis e desproporcionados da crítica, sempre dura e às vezes injusta. Assim sendo, não espere por novidades tão cedo.

Continuar lendo “Conto | Maldita Noite de Oktoberfest”

Conto | 12 Microcontos de Terror

No mês de outubro (também conhecido como o mês do Halloween), resolvemos fazer uma pequena brincadeira entre nós. Cada um deveria escrever alguns microcontos de terror para que fossem postados na página do Conte Histórias no Facebook. Assim, a cada novo dia do mês, um novo microconto bem assustador era revelado aos nossos leitores. Foi um desafio interessante, pois é bem difícil contar uma boa história com tão poucas palavras.

Outubro já acabou, mas isso não quer dizer que os contos tenham ficado menos assustadores. Caso você tenha perdido o mês de terror do Conte Histórias ou esteja buscando relembrar alguma história que o tenha deixado sem dormir por alguns dias, reunimos aqui no blog 12 microcontos apavorantes, cada um escrito por um diferente autor do grupo.

Mas tenha coragem, querido leitor, pois são histórias que o deixarão de cabelo em pé!

Continuar lendo “Conto | 12 Microcontos de Terror”

Conto | O homem, a caverna e o grande truque

Por: Cesar Gaglioni

O viajante já estava caminhando há três dias e três noites. Seus pés doíam, sua cabeça latejava. Sentia fome e acreditava que seria capaz de comer os próprios dedos se não encontrasse alimento nas próximas horas.

A chuva respingava em seu rosto e trazia pelo menos algum alívio no calvário. Precisava de um abrigo para deixar suas coisas e partir para a caça. Encontrou uma caverna. Deparou-se com uma entrada colossal, com metros de altura e largura. Com cautela, adentrou a abertura. Sua tocha iluminava pouco, mas o suficiente para ele ter a certeza de que alguém já havia passado por lá antes.  Poucos metros depois começou a vislumbrar os cadáveres. Os mortos ali jaziam com uma expressão de completo horror em seus rostos. Agonia congelada em uma expressão facial que perduraria pela eternidade. Continuar lendo “Conto | O homem, a caverna e o grande truque”

Conto | Transformação

Por: Tiara Gonçalves

Carlos não tinha medo do escuro. Era na luz que os perigos se mostravam.

A escola com suas regras, explícitas ou não, sempre o apavorava. As pessoas nas ruas que o julgavam e olhavam com desdém, eram monstros atormentando seus sonhos. A família cheia de preconceitos era o seu principal algoz. Carlos temia sair às ruas, temia se mostrar como realmente era. Aquela sociedade, dita normal, não era o seu lugar. Somente na escuridão ele estaria seguro. Continuar lendo “Conto | Transformação”

Conto | Contrato

Por: André Diniz

Moscas zunem, em seus voos acrobáticos, próximo do rosto de Oliver, atrapalhando seu breve momento de êxtase. A faca, que antes achava tão pesada, estava firme em sua mão e ansiosa para sentir mais carne cedendo ao seu fio. Ele ainda não havia entendido como obtivera aquela arma, que instantes atrás não passava de um smartfone; por instinto ele compreendia que tudo à sua frente agora poderia ser moldado ao seu bel prazer. Um carro passa pela rua principal e preenche o beco com a luz amarelada do farol e o som metálico de seu motor. O rapaz está pálido, mas junto à palidez sangue escorre pelo rosto. Continuar lendo “Conto | Contrato”

Conto | Aversão Profunda

Por: Leonardo Santhos

Rafa não suportaria mais tempo sem comer. A greve de fome precisava acabar e Cris sabia como fazê-la.

“Tudo não passa de um mal-entendido”, pensava Cris, provando o molho picante favorito de Rafa que fizeram questão de servir no casamento. “A comida perfeita para o dia perfeito”, dizia provando com o dedo, sempre que Cris preparava o cozido.

A longa mesa de jantar estava arrumada. Não acendeu velas, pois sabia que Rafa não gostava do cheiro. A luz baixa seria o suficiente para um clima íntimo.

“Senti sua falta enquanto eu cozinhava”, disse Cris servindo-se do cozido.

E Rafa, nada dizia. Continuar lendo “Conto | Aversão Profunda”