Crônica | A várzea

Por: Michel Costa

Quando chegamos, só havia mato. Literalmente. O trajeto para o campo era feito através de uma trilha que serpenteava entre os arbustos. Ao final dela, encontrávamos o famoso Campinho da Bananeira. Nunca descobrimos porque ele tinha recebido esse nome, afinal, não se avistava nenhuma bananeira por perto. É provável que ela já tivesse dado seus cachos e sido arrancada por algum desalmado.

O gramado era uma obra de arte. Como não havia dinheiro para um sistema de drenagem, a própria natureza se encarregou de resolver o problema com um declive de, pelo menos, 15 graus. Assim, a chuva logo escoava estrada abaixo, deixando a grama sequinha de novo. Grama esta que não nascia no habitat dos goleiros, como orienta os melhores manuais varzeanos. E, como simetria é coisa de quem sofre de TOC, as linhas de fundo não tinham, necessariamente, o mesmo comprimento. Continuar lendo “Crônica | A várzea”

Conto | O homem, a caverna e o grande truque

Por: Cesar Gaglioni

O viajante já estava caminhando há três dias e três noites. Seus pés doíam, sua cabeça latejava. Sentia fome e acreditava que seria capaz de comer os próprios dedos se não encontrasse alimento nas próximas horas.

A chuva respingava em seu rosto e trazia pelo menos algum alívio no calvário. Precisava de um abrigo para deixar suas coisas e partir para a caça. Encontrou uma caverna. Deparou-se com uma entrada colossal, com metros de altura e largura. Com cautela, adentrou a abertura. Sua tocha iluminava pouco, mas o suficiente para ele ter a certeza de que alguém já havia passado por lá antes.  Poucos metros depois começou a vislumbrar os cadáveres. Os mortos ali jaziam com uma expressão de completo horror em seus rostos. Agonia congelada em uma expressão facial que perduraria pela eternidade. Continuar lendo “Conto | O homem, a caverna e o grande truque”

Crônica | Imãs

Por: Rodrigo Chama

A cidade dorme. A madrugada embala os sonhos – bons ou ruins – sem distinguir sexo, classe ou cor. Da janela do meu quarto, observo um céu sem estrelas e uma lua alaranjada, cheia de mistério. É claro que, vez ou outra, uma buzina solitária, uma briga de gatos ou a cantoria de um bêbado entusiasmado podem quebrar esta ilusão. Não importa, “As mentiras mais cruéis são frequentemente ditas em silêncio”.

Ao meu lado, deitada, melhor, desmaiada de cansaço está ela, Verusca, a trepadeira. Calma lá, não tire conclusões precipitadas. Eu a chamo desta forma devido à maneira como ela gosta de dormir. Sua cabeça está sobre o meu braço, as pernas trançadas imobilizando as minhas e as mãos entrelaçadas envolvendo minha barriga. Visualizaram? Quando brigamos, eu a chamo de Kuato (o líder da rebelião em “O vingador do futuro”). Ah, minha pequena leonina. Continuar lendo “Crônica | Imãs”

Conto | Cartão de Crédito Platinum

Por: Camila Servello Aguirre

O dinheiro compra tudo e ele, com os seus milhões, sabia bem disso.

Não foi nem um pouco difícil conseguir um daqueles aviões jumbo, muitas vezes usados no transporte de carga. Daqueles que têm uma porta monstruosa no final do bojo. Gastou uma parte da sua fortuna conquistada no mercado de ações alugando um para si.

Conseguir o piloto foi um pouco mais difícil. O roteiro da viagem não era dos mais convidativos. Quem, em sã consciência, toparia sobrevoar o Triângulo das Bermudas? Mas ele encontrou um veterano da Guerra do Iraque perturbado o suficiente e confiante ao extremo para aceitar aquela empreitada. Precisou de um pequeno desvio do trajeto, pois não sobrevoariam diretamente o lugar e, claro, uma quantia volumosa de dinheiro para massagear o ego do sujeito. Continuar lendo “Conto | Cartão de Crédito Platinum”

Crônica | Encontros na madrugada

Por: Adele Lazarin

São três da manhã. Uma pata gordinha bate em meu rosto e um choro baixinho pede atenção. Cheia de sono, abro os olhos e vejo que Chanel me vigia de perto. Ou imagino que ela está me vigiando. Ela é uma pug velhinha de nove anos e, como é característico da raça, levemente vesga.

Um de seus olhos está fixo em mim, mas o outro olha sem muita atenção o meu namorado, que dorme sem preocupações ao meu lado. Obviamente, não fora ele o escolhido para levar a nossa pequena senhora ao banheiro nesta noite. Continuar lendo “Crônica | Encontros na madrugada”

Conto | A Partida

Por: Rodrigo Chama

Do meu quarto já posso ouvir as portas batendo, os passos se aproximando pelo corredor e a maçaneta sendo girada com cautela. Ah, logo serei “acordado” e chamado a cumprir meu compromisso de domingo de manhã. É dia de futebol.

Este não é um compromisso recente, pois se trata de uma tradição familiar. Sim, os Campos carregam, no nome e DNA, a fama de bons esportistas. Aliás, o campeonato municipal tem o nome do meu pai como homenagem. Continuar lendo “Conto | A Partida”

Conto | Transformação

Por: Tiara Gonçalves

Carlos não tinha medo do escuro. Era na luz que os perigos se mostravam.

A escola com suas regras, explícitas ou não, sempre o apavorava. As pessoas nas ruas que o julgavam e olhavam com desdém, eram monstros atormentando seus sonhos. A família cheia de preconceitos era o seu principal algoz. Carlos temia sair às ruas, temia se mostrar como realmente era. Aquela sociedade, dita normal, não era o seu lugar. Somente na escuridão ele estaria seguro. Continuar lendo “Conto | Transformação”