Conto | A Floresta e o Relâmpago

O vazio é como uma doença que se prolifera lenta e constantemente, mantendo-se sempre à espreita de uma oportunidade propícia para atacar; o corpo é uma floresta, que pulsa com vida, preenchida de oxigênio. O inevitável relâmpago, em uma tempestade, rasga os céus, criando trajetórias sinuosas e ramificações irregulares, iluminando a escuridão com seu clarão azulado, gerado pela descarga elétrica entre duas nuvens carregadas de uma alma ferida.

O trovão ecoa tal qual tambores indígenas que antecedem um ritual, potente como um tiro e opressor como um tirano, avisando do perigo que se aproxima gradualmente. Sem motivo aparente, a chuva chega e despenca, interrompendo a paz; inundando a mata rasteira e fazendo encostas inteiras deslizarem. Continuar lendo “Conto | A Floresta e o Relâmpago”