Resenha | A Revolução dos Bichos

A HISTÓRIA POR TRÁS DA ESTÓRIA

Nos últimos anos, autores de qualquer lugar do mundo passaram a contar com novos meios para publicar suas obras. A autopublicação eliminou as barreiras que impediam muitas delas de verem a luz do dia, possibilitando a independência do crivo editorial. Em 1943, não havia tal opção.

A Revolução dos Bichos (Animal Farm, no original em inglês), de George Orwell, teve um começo difícil. O livro foi recusado várias vezes por diferentes editoras. Segundo o autor, no prefácio da primeira edição inglesa de 1945, o livro era “inconveniente”, e a recusa das editoras em publicá-lo era um sintoma de um processo de enfraquecimento da tradição liberal ocidental.

Continuar lendo “Resenha | A Revolução dos Bichos”

Conto | Cada Gota do Seu Sangue

Larissa perdeu outro dente naquela manhã. Era quase surreal a forma como uma tarefa tão banal como escovar os dentes, assumia mais a cada dia que passava um aspecto de auto-tortura e flagelo.

O dente, o incisivo central superior que ainda vinha resistindo em sua boca e que assumira um aspecto amarelado ao longo da última semana, como um reflexo doentio do estado físico decadente que se apossara dela, repousava inerte na pia do banheiro, e por pouco não fora engolido pelo ralo. Um pouco de sangue tingia de vermelho a espuma do creme dental que decorava o dente perdido.

Era o sexto que ela perdia em duas semanas. Larissa fechou os olhos lacrimejantes e inspirou fundo, segurando o ar em seus pulmões. Sentiu o fraco sabor do creme dental sendo ofuscado pelo gosto forte e ferroso do sangue que ainda escorria em pequena quantidade da sua gengiva. Era uma sensação nova e inesperada.

Continuar lendo “Conto | Cada Gota do Seu Sangue”

Conto | Maldita Noite de Oktoberfest

DESABAFO – 10 de Julho de 2015

Recusaram outro conto meu. Já faz dois anos que escrevo e ainda não tenho um conto sequer selecionado para uma antologia. Talvez seja a minha insistência em escrever contos de terror. Já me disseram que tenho uma mania de inventar moda e tentar inovar demais. Quer saber? Que se fodam as antologias, e que se foda o que os outros pensam.

FIM – 11 de Julho de 2015

Este é provavelmente meu último post. Escrever talvez não seja para mim, e o meu ego já não suporta mais os golpes cruéis e desproporcionados da crítica, sempre dura e às vezes injusta. Assim sendo, não espere por novidades tão cedo.

Continuar lendo “Conto | Maldita Noite de Oktoberfest”

Resenha | Car Wars

Car Wars é um magnífico conto de ficção científica produzido pelo escritor e jornalista canadense Cory Doctorow, encomendado pela Melbourne’s Deakin University. A Universidade pediu ao autor que escrevesse um conto sobre o complicado processo de desenvolvimento e regulamentação dos carros autônomos, inspirado pelo ensaio The problem with self-driving cars: who controls the code? (O problema dos carros autônomos: quem controla o código?), também escrito por ele. Continuar lendo “Resenha | Car Wars”

Conto | A Torre de Marfim

No sonho, o elefante morto levanta em meio à multidão que o cerca e vem na minha direção. Quero fugir, mas meu corpo não obedece. Ele para diante de mim, e começa a falar. Sua voz está por todo lado e me causa arrepios pavorosos, pois não é som o que eu escuto, e nem poderia ser, pois metade da sua cabeça foi removida. O branco deve cair, o branco deve cair ele repete sem parar. É sempre assim no meu sonho.

Depois disso, o elefante colossal desaba e minha irmã começa a gritar, e eu acordo. Continuar lendo “Conto | A Torre de Marfim”

Conto | A Morte das Estrelas

Uma estrela se apagou no momento em que o Pai subia no telhado de casa. Com uma coberta de lã no ombro, ele escolhia onde pisar com cuidado, para não quebrar nenhuma telha. Enquanto isso, o Filho subia a escada de mão carregando num dos braços um grosso edredom com tema de flores que pegou no quarto dos pais.

O Pai estendeu a coberta sobre as telhas geladas no outro lado da casa, aquele que dava para os fundos, onde as luzes dos postes na rua não teriam nenhuma chance de atrapalhar a noite deles. Deitou-se e aguardou o filho em silêncio, encarando o zênite celeste com a curiosidade de uma criança. Continuar lendo “Conto | A Morte das Estrelas”

Resenha | Stories of Your Life And Others

Se você é um amante da ficção científica e está em busca de uma leitura desafiadora e extremamente original, Stories of Your Life And Others pode ser a escolha ideal para você. Nesta obra vencedora do Locus Award na categoria Melhor Coletânea, Ted Chiang nos presenteia com alguns dos melhores e mais ousados contos e noveletas da ficção científica contemporânea.

A coletânea conta com as oito primeiras histórias do autor, e inclui nada menos que três histórias vencedoras do Nebula Award e uma do Hugo Award. Cada uma delas é única e nos provoca o pensamento, forçando o leitor a adotar outros pontos de vista e a pensar fora da caixa. Continuar lendo “Resenha | Stories of Your Life And Others”

Artigo | Depression Quest

Se alguém ao seu lado estivesse passando por um episódio de depressão, você saberia dizer, com certeza, que esse é o caso? Saberia identificar os sintomas? Para muitas pessoas a resposta é não, e isso pode significar perder a oportunidade de ajudar alguém em necessidade. E é aí que entra o Depression Quest.

O objetivo dos desenvolvedores do jogo é duplo. Primeiro, ilustrar da forma mais clara possível com o que a depressão se parece, habilitando pessoas que nunca sofreram de depressão a entendê-la melhor. Segundo, fazer uma simulação tão real da depressão quanto possível, de modo que sofredores da doença venham a saber que não estão sozinhos, provendo assim algum conforto para essas pessoas. Continuar lendo “Artigo | Depression Quest”

Conto | Happy You

Instalar o Plugin da Felicidade foi a decisão mais difícil que já tomei, e também a mais burra e inconsequente. Mas as consequências dos maiores erros não vêm na forma de uma morte rápida e misericordiosa, não… elas espreitam em silêncio por muito tempo e quando aparecem se mostram opressoras e cruéis. Enquanto assisto impotente a lenta evolução da barra de progresso, alimento a esperança de que não é tarde demais para voltar atrás e salvar o pouco que me resta.

Há dois anos eu tinha tudo e me considerava a pessoa mais sortuda do mundo. Se bem que toda pessoa realmente apaixonada deve se sentir assim… eu tinha o melhor marido e uma vida crescendo dentro de mim. Minha barriga crescera bastante nos últimos sete meses e meu passatempo preferido era passar as tardes ensolaradas no bosque nos fundos de casa, sentada numa cadeira de descanso lendo um romance. Eu lia em voz alta, para mim e para o meu pequeno Guilherme. Quando não estava viajando, meu marido lia para nós três. Era uma coisa especial, uma coisa só nossa. Mas o que é bom demais dura pouco e numa noite chuvosa no auge do inverno eu perdi tudo isso. Continuar lendo “Conto | Happy You”

Conto | Os Homens Que Apagaram as Estrelas do Céu

A definição era baixa, mas a veracidade do vídeo era inquestionável. As imagens bidimensionais mostravam uma gravação holográfica de uma realidade que não condizia com a História. Eva recebera o vídeo em uma mensagem anônima há alguns minutos. A mensagem terminava com um convite para encontrar sua fonte naquele mesmo dia no topo da Huxley Tower. Deveria ir sozinha.

Eva era uma repórter num mundo de paz desprovido de pobreza, onde não eram as tragédias diárias que dominavam os meios de comunicação, mas a celebração de conquistas e realizações de uma sociedade essencialmente feliz. Era um tempo onde tensões políticas esporádicas ainda acompanhavam os movimentos éticos da sociedade, mas as grandes crises eram coisa do passado. Ainda assim, as pessoas continuavam humanas e tão capazes de loucura e violência como sempre o foram. Continuar lendo “Conto | Os Homens Que Apagaram as Estrelas do Céu”