Conto | Dia de Carnaval1 min de leitura

A rua se encheu de confete e serpentina. As fantasias brilhavam à luz do sol enquanto os foliões riam, dançavam e cantavam ao som das marchinhas de carnaval. O calor de fevereiro subiu do asfalto e invadiu os corpos pintados e suados no meio de Ipanema. A praia, ao fundo, abriu alas para os mascarados que desejavam recuperar as energias junto às ondas do mar.

Era mais um dia de festa no Rio de Janeiro.

Entre os encontros calorosos em meio à multidão, dois pares de olhos se cruzaram. Eles se aproximaram, a princípio tímidos, mas com desejo de algo novo. Uma boca se abriu em um sorriso incerto, ansioso, enquanto outra se aproximou destemida, perdida em uma risada embriagada.

A poucos passos de distância, duas mãos se uniram e os dedos se entrelaçaram com a certeza de que deveriam permanecer juntos. Lentamente, os corpos criaram um compasso próprio, harmonizado com o batimento arrebatado de seus corações.

Não sabiam o que aconteceria no dia seguinte, ou mesmo depois daquele bloco de folia. A única coisa que importava era a eternidade do momento que viviam juntos naquele dia de carnaval.

Adele Lazarin

Goiana do pé rachado e carioca de coração, Adele é jornalista, tem especialização em Assessoria de Comunicação e Marketing e já escreveu para alguns sites de cultura, como Cinema Com Rapadura e A Gambiarra. É fluente em inglês e italiano, pratica taekwondo e é apaixonada por literatura e cinema. Tem como hobby viajar, pensar em comida, abraçar cachorros e sonhar acordada. Aprendeu a desbravar novos mundos com Tolkien e ainda espera por uma carta de Hogwarts.

Últimos posts por Adele Lazarin (exibir todos)

Comentários

comentários

Deixe uma resposta